Trata-se de uma técnica de Compressão manual dos tecidos, que utiliza pressões intermitentes e tem como objetivo aumentar o fluxo da circulação linfática para tratamento de disfunções estéticas.

A Gestação.

A maternidade é uma realização comum à maioria das mulheres e a gravidez é sempre marcada por muitas emoções.
Durante os nove meses de gestação, o corpo da mulher passa  por diversas transformações e alterações. Embora a gravidez seja uma das experiências mais fantásticas que a mulher pode vivenciar, nem tudo é um mar de rosas.
As alterações físicas que ocorrem durante a gestação podem tornar-se motivo de desconforto. A mulher deseja unir a maternidade, bem-estar, saúde e beleza. Se o dom de ser mãe é natural à sua feminilidade, à sua beleza é, igualmente um elemento fundamental para a integridade do seu ser.

Imagem relacionada

Organismo das Gestantes.

As modificações que ocorrem no organismo das mulheres quando estas estão grávidas são devido a uma série de fatores hormonais e mecânicos fatores hormonais e mecânicos e podem ser sistêmicas ou alterarem apenas genitais.

Modificações Gerais:

Postura e Deambulação (caminhar):

É comum as gestantes modificarem sua postura, isto ocorre antes mesmo do útero aumentar seu volume. Há aumento das mamas e da  barriga,  surge  também  a  lordose fisiológica (normal) da gravidez, a coluna adquire uma curvatura excessiva para dentro, gerando dores nas costas.
A mulher modifica também seu caminhar, sendo este chamado de marcha anserina, se referindo a forma com que os gansos andam. Tal modificação também ocorre na tentativa de sustentar o peso que carrega na barriga.

Resultado de imagem para gravidas

Sistema Cardiovascular:

Gestantes geralmente apresentam freqüência cardíaca aumentada (número de vezes que o coração bate por minuto), porque existe um maior volume de sangue e este precisa ser bombeado para todo o corpo.

Resultado de imagem para coração humano real

Sistema Sanguíneo:

Ocorre também uma anemia fisiológica (normal) da gravidez, já que ocorre primeiramente um aumento da parte líquida do sangue, e só depois há aumento das células, ficando, portanto o sangue mais diluído.

Sistema Urinário:

Muitas gestantes queixam-se de sentir vontade de urinar muitas vezes ao dia, isto não é devido ao volume urinário que aumenta, ao contrário existe grande reabsorção de água pelo organismo materno. O que ocorre é que a capacidade da bexiga diminui, já que o útero quando aumentado, tende a comprimi-la.

Sistema Digestivo:

É muito comum no início da gestação haver náuseas (enjôos) e vômitos, denominado hiperêmese gravídica.
Pode ocorrer também pirose (queimação, azia) e constipação intestinal (intestino preso), já que existe um hormônio em alta durante a gestação, chamado progesterona, este é responsável pelo relaxamento dos órgãos, por isso pode haver também refluxo, devido ao esfíncter esofágico (estrutura que impede o suco gástrico de atingir o esôfago) estar relaxado, ocasionando também diminuição do peristaltismo, movimento responsável por levar o alimento através do tubo digestivo, causando assim o “intestino preso”.

Sistema Reprodutor

O útero é o órgão que mais sofre alterações durante toda a gestação, pois é ele responsável por abrigar agora um “corpo estranho”, sofrendo modificações em sua consistência, forma, volume, capacidade, posição, peso e espessura.
A maioria das modificações maternas volta ao que era antes da mulher engravidar, já que estas se relacionam a presença do hormônio da gestação, a progesterona.

Pele

É comum haver o aparecimento de estrias no abdome e nas mamas, devido ao rápido aumento dos mesmos, pois as fibras de sustentação da pele (fibras elásticas e colágenas) se rompem, formando estrias.
Pode haver também o escurecimento da linha do centro do abdome, (chamada linha Alba), da vulva (parte externa da vagina), das aréolas mamárias e da face (cloasma).
A melanina – proteína que pigmenta pele e cabelos pode ficar hiperestimulada dando origem as manchas.
A pele do rosto também fica mais propensa ao surgimento de melasmas.

A cada mês a barriga cresce um pouco mais, motivo de orgulho para a futura mamãe. Essa talvez seja a mudança mais evidente no corpo da mulher durante a gravidez, mas nem de longe será a única. Durante os 9 meses de gestação, a mulher sente uma série de outras alterações, devido, principalmente ao rebuliço hormonal.

A ginecologista e obstetra do Hospital Albert Einstein Fabiane Sabbag Corrêa conta que a grávida começa a produzir uma quantidade enorme de hormônios, como o Beta HCG, a progesterona e diversos outros, que vão interferir diretamente no seu corpo. A especialista nos conta o que acontece com o corpo feminino durante todos os meses da gestação, dos alívios às complicações:

Vamos entender melhor as semanas x meses:

Resultado de imagem para semana x mes de gestação

Drenagem linfática para gestantes

A drenagem linfática é uma massagem de movimentos leves e lentos, realizada por profissionais devidamente treinadas e habilitadas, sua função é eliminar toxinas, diminuindo o edema causado em mulheres no período gestacional.
Esse procedimento só deve ser realizado com autorização médica. Usar cremes sem príncipios ativos ou cremes indicados para gestantes.

Indicação:

  • Elimar toxinas;
  • Diminuir o edema causado no período gestacional.

Tempo

  • 60 minutos

A drenagem linfática na gravidez é contraindicada nos primeiros 3 meses de gestação mas após esse período é ótima para ativar a circulação  sanguínea  e  a  diminuir  o  inchaço das pernas, pés e rosto, eliminando o excesso de líquido através da urina.

Durante a gestação deve ser feita por um fisioterapeuta, esteticista ou massoterapeuta, e não deve ser realizada em casa porque a barriga, as costas e os pés possuem pontos estimulantes que podem provocar um parto prematuro.
É importante enfatizar que a drenagem linfática manual é um tipo de massagem muito leve em que não há aplicação de força.

Nossa missão.

Nosso foco é prevenir as estrias, reduzir a retenção de líquido e inchaço, amenizar as dores, para isso realizamos a drenagem linfática, relaxando e hidratando a pele da nossa cliente.

Imagem relacionada

Antes de começar com os cuidados em cabine, a profissional de estética deve observar alguns pontos fundamentais:

  • Autorização do médico obstetra por escrito;
  • Verificar antecedentes de alergias ou pré-disposição a reações de sensibilidade;
  • Verificar os  princípios  ativos  que  podem ser utilizados em grávidas, autorizados pela Anvisa, nosso órgão regulamentador;
  • Desenvolver protocolos e técnicas apropriadas, com objetivo de conforto e bem estar da cliente, para ela se sentir especial

Preparar o ambiente:

  • Música Relaxante
  •  Almofadas
  •  Toalha
  •  Lençol
  • Temperatura agradável
  • Aromaterapia (deve ter cuidado).

Imagem relacionada

Orientar sempre a cliente:

  • Fazer manutenção diária de hidratação corporal e facial; Cuidados com os cabelos;
  • Cuidados com as pernas e pés;
  • Indispensável o uso do filtro solar; Uso de roupas confortáveis;
  • Uso de meias de compressão;
  • Ingestão abundante de água; Oito horas diárias de sono;
  • E uma rotina agradável.

É importante salientar que, a partir da vigésima semana de gestação, o útero pode comprimir a veia cava inferior e a aorta, obstruindo o retorno venoso e fluxo de sangue arterial. Desde o início do processo de atendimento, a gestante deve ser posicionada de forma correta, colocando a paciente em decúbito lateral esquerdo.

Imagem relacionada
Pode ser utilizado rolo para apoiar as pernas ou podem ser utilizados rolos com toalhas para apoiar entre as pernas e o pescoço.

Pode ser feita massagem com a maca quase sentada e utilizar travesseiros ou almofadas como apoio. Antes do quinto mês. A partir do 5º mês a posição para a gestante realizar massagem é em decúbito lateral esquerdo, apoiar uma perna sobre uma almofada ou um travesseiro ou uma toalha feito rolo e também apoiar a cabeça e até a barriga em alguns casos, procurando ficar o mais confortável possível. Toalhas podem ser utilizadas como apoio entre as pernas.

Imagem relacionada

Ativos indicados para gestantes

  • DMAE – Tensor, garante a elasticidade da pele, firmeza e tonicidade.
  • Manteiga de Cupuaçu – Hidratante, previne a flacidez, trazendo de volta a sua elasticidade.
  • Manteiga de Karitê – Poderoso hidratante.
  • Óleo de amêndoas doce – Rico em vitaminas A e B, hidratante, nutritivo, anti-­‐ estrias.
  • Óleo de semente de uva – previne as estrias, rico em ácido linoleico, com grande poder antioxidante, graças aos bioflavonóides existentes em sua composição.
  • Cavalinha -­‐ Adelgaçante, antilipêmico, regenerador.
  • Extrato de arnica – Estimulante, descongestionante, normaliza a micro circulação, anti edema, anti inflamatório.
  • Centella  Asiática  –  anti-­‐inflamatório,  vaso  protetor,  tonificante,  ativador  da microcirculação, estimulante e hidratante.
  • Argisil C – Ação antiglicação do colágeno, auxilia na lipólise.
  • Ácido Hiaulurônico –Hidratante, preenchedor  celular, previne e  trata o envelhecimento celular.
  • Alfa Bisabolol – Anti-­‐inflamatório.
  • Aloe Vera – bactericida, hidratante.
  • Hera – Fortalecedor das paredes dos vasos, estimulante da absorção cutânea.
  • Sílicio Orgânico – Reestrutura as células.

Ativos contraindicados para gestantes

  • Gengibre
  • Canela
  • Cravo
  • Nicotinato de Metila
  • Menta
  • Menta Piperita
  • Pimenta
  • Uréia acima de 3%
  • Olé Mineral
  • Cafeina
  • Cafeisilane
  • Cafeisilane C
  • Alfa Hidroxiacidos
  • Retinol
  • Hidroquinona
  • Acido Glicólico
  • Acido Salicílico

Drenagem linfática manual

A drenagem linfática manual é representada principalmente por duas técnicas a de Vodder e a de Leduc, ambas são baseadas nos trajetos dos coletores linfáticos e linfonodos, associado basicamente três categorias de manobras de captação, reabsorção e de evacuação.

Definição

“ Manobras realizadas por profissional especializado sobre a pele do paciente com o objetivo de favorecer o fluxo linfático alterado, independentemente da causa dessa alteração”

Como é feita a drenagem linfática?

Para que seja eficiente, a drenagem linfática deve ser feita sobre o trajeto dos vasos linfáticos, no sentido do gânglio linfático. Quando feita de forma manual, os movimentos são leves, com pressão em bracelete.

Cada região do corpo pede movimentos diferentes, sempre terminando em algum gânglio linfático. Nas pernas, os movimentos são ascendentes: da perna até a fossa poplítea (parte posterior do joelho), da coxa até a virilha. Já nos braços e tórax, os movimentos vão a caminho das axilas.

Também é possível fazer drenagem linfática no rosto, sempre indo em direção aos gânglios linfáticos, dessa vez do pescoço. Por fim, o couro cabeludo também pode ser algo da massagem, principalmente em dois pontos: na parte alta do crânio e o segundo um pouco mais abaixo em direção as têmporas.

Efeitos da Drenagem Linfática Manual:

  • Aumento da capacidade de admissão dos capilares linfáticos;
  • Aumento da velocidade da linfa transportada;
  • Aumento da quantidade de linfa filtrada processada pelos gânglios linfáticos;
  • Aumento da oxigenação e desintoxicação da musculatura esquelética;
  • Aumento do peristaltismo intestinal;
  • Aumento da diurese;
  • Otimização das imunorreações celulares;
  • Diminuição das aderências e retrações cicatriciais;
  • Maior eficiência celular;
  • Maior eficiência da nutrição dos tecidos.

Indicações

Circulação de retorno comprometida;

  • Tecido edemaciado;
  • Varizes;
  • Varicosas;
  • Cicatrização;
  • Menopausa;
  • Cansaço nas pernas;
  • Sistema nervoso abalado;
  • Gestação;
  • Celulite;
  • Pré e pós-cirurgia plástica;
  • Linfedema

Contraindicações

  • Câncer;
  • Tromboflebite;
  • Trombose;
  • Septicemia;
  • Hipertireoidismo;
  • Reação inflamatória aguda;
  • Insuficiência cardíaca não controlada;
  • Processos viróticos;
  • Febre;
  • Gestação de alto risco;
  • Hipertensão não controlada
  • Insuficiência Renal

Gestação Segura

Durante gestação, a mulher tem inúmeras mudanças de hábitos. Algumas realmente são necessárias para garantir a sua saúde e a do bebê, mas outras podem ser nada mais do que mitos.

A condição de uma mulher grávida é tão delicada e única que uma série de mitos sobre o que ela pode ou não fazer foi criada pelas pessoas. Tudo isso pode confundir a gestante, tornando esse período menos agradável do que deveria ser, vamos esclarecer alguns pontos a seguir.

Gestante precisa comer por dois?

Resultado de imagem para gestante precisa comer por dois

A alimentação na gravidez está cercada de mitos. Falar que a grávida precisa comer por dois é um deles. Assim como quando a mulher não está grávida, o importante é ter um prato variado e colorido, que contenha vegetais, frutas, legumes, carboidratos, proteínas e gorduras, além de muita água.

Para garantir disposição o dia todo e ajudar a combater problemas como náuseas, cansaço e azia, as refeições devem ser divididas entre três principais: café da manhã, almoço e jantar. As gestantes também devem se alimentar de três em três horas. Para isso, o melhor é realizar lanches saudáveis (frutas, iogurtes, cereais) entre as refeições.

Nutrientes que devem marcar presença no prato da gestante.

Durante a gravidez, a mulher deve adotar e mudar uma série de hábitos, principalmente alimentares. Afinal, o crescimento e o desenvolvimento do feto dependem exclusivamente da nutrição materna.

Vitamina C

Imagem relacionada

A gestante deve consumir cerca de 85mg por dia desse nutriente, pois, segundo a nutricionista Simone Freire, ele participa da formação do colágeno e auxilia na formação dos ossos, juntamente com outros minerais e vitaminas. Essa recomendação é fácil de ser atingida, visto que os alimentos ricos em vitamina C são facilmente encontrados no Brasil. A gestante deve ingerir frutas como acerola, goiaba, laranja, abacaxi, kiwi e caju.

Ácido Fólico

A recomendação de consumo desse nutriente para as gestantes é de 600ug por dia, porém este valor não é atingido somente com a alimentação. A nutricionista Simone explica que uma dieta com 2.200kcal é capaz de atingir somente 250ug de ácido fólico, aproximadamente. Uma das grandes funções dessa vitamina é construir o tubo neural do bebê.

Como a formação dessa estrutura se completa até o 28º dia da gestação, o ideal é que a gestante comece a tomar uma suplementação de ácido fólico um mês antes da gestação, aconselha Simone. Além da suplementação, é importante comer alimentos ricos em ácido fólico, que são folhas verdes escuras, feijões, frutas cítricas, fígado e leite.

Cálcio

Resultado de imagem para gestante alimentos

Muito importante para a formação óssea do bebê, além de auxiliar no ajuste da pressão arterial da gestante, prevenindo a hipertensão gestacional ou pré- eclampsia. Os alimentos ricos em cálcio são: leite e derivados como iogurtes e queijos e vegetais folhosos verdes escuros, esses últimos, porém, com menor aproveitamento do nutriente. Existem opções de extratos de soja com sabor e enriquecidos com cálcio para as pessoas com intolerância à lactose ou alergia a proteínas do leite. A recomendação é de 1000mg/dia.

Fósforo, potássio e magnésio

Segundo a nutricionista Amanda Epifânio, a ingestão adequada desses nutrientes está associada, juntamente com o cálcio, à prevenção de hipertensão  gestacional ou pré-eclampsia. Para conseguir as quantidades adequadas, a gestante deve ter uma dieta diária com três a quatro porções de frutas variadas (fontes de potássio); três porções de cereais integrais principalmente pães e arroz – (fontes de magnésio); e três porções de laticínios magros (fontes de cálcio e fósforo).

Vitamina A

A vitamina A tem funções específicas na resposta imunológica e é essencial para a visão. Recomenda-se a ingestão de 770ug por dia, o que não é muito diferente da recomendação para mulheres não grávidas (700ug/dia), já que existem pesquisas apontando que essa vitamina pode ser tóxica ou causar danos ao feto quando ingerida em grandes quantidades nos primeiros meses de gestação.

Existem duas principais fontes alimentares dessa vitamina. A primeira é indireta e de origem vegetal, incluindo alimentos alaranjados, como cenoura, mamão, manga, abóbora e qualquer outro que contenha betacaroteno (precursor da vitamina A). A segunda fonte é de origem animal e está na sua forma ativa, podendo ser encontrada nos ovos e nas carnes, principalmente no fígado.

Vitamina D

Essa vitamina equilibra o cálcio durante a gravidez, passa pela placenta e se apresenta no sangue fetal na mesma concentração do que na circulação materna. A vitamina D pode ser adquirida com auxílio dos raios solares lembrando que os melhores horários para tomar sol são antes das 10h e após às 16h, além da ingestão de alimentos como ovos, carnes e leites. A recomendação é de mais 10ug/dia.

Vitamina B6

A ingestão de vitamina B6 – 1,9mg/dia – é importante para a gestante no sentido de auxiliar a formação de novos tecidos e a fabricação da niacina, outra vitamina do complexo B, essencial para o corpo funcionar melhor e com mais energia. Existem trabalhos apontando que a deficiência dessa vitamina pode contribuir com quadros de depressão durante a gravidez. A vitamina B6 pode ser encontrada em carnes, peixes, aves e fígado.

Ferro

A partir do 2º trimestre de gestação, a futura mãe adquire mais massa celular, principalmente de glóbulos vermelhos, e  o  feto  começa  a  criar  a  sua reserva de ferro. Por conta disso, é de extrema importância que a gestante absorva quantidade suficiente para suprir ambas as demandas.

O valor diário recomendado é de cerca de 27mg, alcançado apenas com suplementação. Uma alimentação normal chega a atingir de 6 a 7mg/dia por 1000kcal. Para atingir as quantidade adequadas de ferro sem suplementação, seria necessário consumir 5000kcal por dia, o que é inviável. Porém, mesmo que a gestante tome suplementos férreos, é importante ter uma alimentação rica nesse nutriente.

Entre as fontes de ferro heme melhor absorvido pelo organismo, estão carnes e vísceras. Já as fontes de ferro não heme com menor aproveitamento são os feijões, legumes, vegetais de folha escura e ovos. A vitamina C auxilia na absorção do ferro não heme e, por isso, é importante que os dois nutrientes estejam juntos na mesma refeição.

Zinco

O zinco é extremamente importante para auxiliar o crescimento celular, tanto da gestante como do feto. A recomendação é de 11mg/dia e esses valores também só são atingidos com suplementação. É indicado, inclusive, que a suplementação de zinco seja feita junto com a de ferro. Os alimentos ricos em zinco são ostras, frutos do mar, peixes, fígado, peru e carnes.

Proteínas

A ingestão adequada de proteínas tem relação direta com a velocidade de formação dos tecidos da gestante e do bebê. O valor recomendado para grávidas é de 71g por dia, sendo que metade desse valor deve provir de carnes, aves e ovos e a outra metade, de alimentos de origem vegetal, como os feijões e derivados.

Carboidratos

A necessidade de carboidratos aumenta porque o metabolismo da gestante está mais acelerado e, por conta disso, precisa de mais energia. A indicação é de 175g de carboidratos por dia. Arroz, batata, massas em geral, mandioca, pães, bolachas, aveia e granola são excelentes fontes desse elemento.

Consumo de água.

Resultado de imagem para proteinas gestante

O alto consumo de líquidos é uma recomendação geral, mas que ganha importância ainda maior no caso de gestantes. De acordo com a ginecologista e obstetra Luciana Taliberti, a gestante precisa de água para repor o que perde na transpiração e também para a manutenção do líquido amniótico, espécie de aquário em que o bebê vive dentro da mãe. Além disso, aumentando o volume de líquido no corpo, a pressão arterial também se eleva, evitando a sensação de tontura típica da queda de pressão. Em média, uma pessoa deve ingerir 2 litros de água diariamente, lembrando que sucos, sopas e frutas também são ótimas fontes de líquidos.

Até que ponto o consumo de bebidas alcoólicas é seguro?

Imagem relacionada

De acordo com a especialista, beber qualquer quantidade de álcool é desaconselhável durante a gestação. É muito importante que a mulher corte o consumo de bebida alcoólica de sua rotina, já que pesquisas mostram que até o consumo apenas social de álcool pode levar à Síndrome Alcoólica Fetal. A Síndrome Alcoólica Fetal é caracterizada pela má-formação do feto causada pela ingestão de álcool pela mãe.

Gestantes podem tomar banho de sol?

Imagem relacionada

A vitamina D, que é absorvida pelas células quando a pele entra em contato com os raios solares, é essencial para a saúde tanto da mulher quanto do bebê. Por isso, a grávida precisa, sim, tomar sol regularmente.

No entanto, como a pele da gestante tem risco maior de ficar com manchas devido a mudanças hormonais, é preciso evitar o sol das 10 até às 16 horas e sempre usar protetor solar com fator de proteção maior do que 30.

Uso do protetor solar.

Imagem relacionada

Devido às inúmeras mudanças hormonais ocorridas durante a gestação, a melanina – proteína que pigmenta pele e cabelos pode ficar hiperestimulada dando origem as manchas. Por isso, o cuidado com a pele neste período deve ser redobrado. O ginecologista recomenda o uso diário de filtro solar com FPS 30, no mínimo, e a não exposição ao sol entre 10h e 16h. Tais manchas são permanentes e, algumas delas, difíceis de sair, então, a melhor atitude é a prevenção.

Hidratação da pele

Gestantes estão mais propensas ao aparecimento de estrias, principalmente nas pernas, barriga, glúteos e mamas.

Por isso, a hidratação deve ser feita todos os dias, mesmo no calor, quando a oleosidade da pele costuma aumentar, afirma. Nessa época, recomenda-se optar por hidratantes oil-free, evitar reações alérgicas a determinadas substâncias do produto que são contraindicadas.

Cuidado com a esfoliação

No caso de gestantes, o principal benefício da esfoliação, que é a eliminação da pele morta, também pode ser um grande perigo. De acordo com o ginecologista e obstetra Domingos, eliminar essa camada da pele implica tirar uma proteção extra contra os raios solares. Além disso, com as mudanças hormonais é possível que a gestante esteja mais sensível a determinados produtos, o que pode desencadear reações alérgicas.

Elas podem fazer depilação com cera?

A depilação com cera quente ou feita com lâmina pode ser feita sem restrições. No entanto, a chamada depilação definitiva, ou depilação a laser, não é recomendada em nenhuma parte do corpo, já que nunca foram feitos testes científicos para saber qual é o efeito do laser no bebê.

Elas podem pintar o cabelo?

Durante as primeiras 16 semanas de gravidez, é aconselhável não usar tinturas para cabelo. Esse cuidado deve ser tomado porque o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada, o que facilita a entrada da química da tintura na corrente  sanguínea. Substâncias como amônia, benzeno e iodo podem ter efeito tóxico para o bebê, aumentando as chances de má- formação e danos fetais.

As gestantes podem pintar as unhas?

Ao contrário do que acontece com a tintura de cabelo, a química do esmalte e da acetona não causa nenhum problema ao bebê. A química utilizada nesses produtos é fraca e não há restrições para pintar as unhas durante toda a gestação.

É preciso evitar algum produto de limpeza?

É bom tomar cuidado com  alguns produtos de limpeza, principalmente aqueles que contenham amônia ou os seus derivados, já que essas substâncias podem trazer malefícios ao bebê. Mesmo que sejam encontrados em quantidades pequenas, esses produtos podem causar náusea na mãe e má formação no feto.

A gestante deve usar sempre luvas e tomar cuidado redobrado com inalação e/ou ingestão acidental de produtos de limpeza.

Banhos e lugares frios

O calor promove a dilatação dos vasos sanguíneos, o que diminui a pressão arterial, favorecendo a estagnação do sangue nos membros inferiores. Por isso, a gestante deve evitar lugares quentes e de grande aglomeração. Além disso, os banhos quentes dilatam ainda mais os vasos do corpo. Se, mesmo tomando todos os cuidados, ela perceber que está com tontura, deve se sentar no chão imediatamente para não correr o risco de cair e machucar o bebê.

Gravidez não é motivo para deixar o sedentarismo se instalar. Pelo contrário, a prática de exercícios físicos pode trazer muitos benefícios à gestante. Mexer o corpo melhora o preparo físico cardiopulmonar, diminui as dores e incômodos comuns à gestação, melhora o equilíbrio e até mesmo prepara a gestante para o parto e o pós-parto. Mas antes é necessário consultar o ginecologista para que ele diga se a atividade física está liberada, já que algumas condições como pressão alta e placenta baixa restringem a prática de exercícios. Também é importante ressaltar que não importa o exercício que a gestante esteja fazendo, a frequência cardíaca nunca deve passar de 140bpm, para garantir a segurança dela e do bebê, explica o ortopedista Lucas Ribeiro, da maternidade São Luiz.

A maioria dos equipamentos de ginástica fornece o monitor de batimentos cardíacos. Mas existem aparelhos que podem ser usados no pulso para medir a frequência cardíaca e garantir a segurança da gestante. A seguir, conheça os melhores exercícios para as futuras mamães.

Pratique exercícios

Imagem relacionada

Além de melhorar a disposição da gestante, a prática de exercícios físicos estimula a circulação, evitando, assim, a sensação de inchaço, comum principalmente nos  membros  inferiores.  Recomenda-se  que  a grávida dê preferência a atividades na água para que seu peso não a deixe sobrecarregada e para diminuir ao máximo o impacto dos movimentos. Entretanto, o melhor exercício para a gestante deve ser aquele com o qual ela se sente confortável. Qualquer sinal de dor, falta de ar ou cansaço excessivo deve ser informado ao médico.

Caminhada

Imagem relacionada

Esse é o ótimo começo para as futuras mamães. Segundo os especialistas, a caminhada melhora o condicionamento cardiovascular, aumenta o fluxo sanguíneo para os músculos e diminui o estresse.       A caminhada pode ser feita com tranquilidade, mas respeitando certos limites. A superfície deve ser regular, a frequência cardíaca deve estar dentro do recomendado e a temperatura ambiente deve estar abaixo de 38°C.

Caso a caminhada seja na esteira, a gestante deve certificar-se de que a área das pisadas é larga o suficiente para que não haja desequilíbrio após o terceiro trimestre de gestação, quando a mulher precisa manter as pernas mais abertas para caminhar. A frequência e a duração da atividade vão depender da condição de cada gestante. Os benefícios já podem ser observados na caminhada feita três vezes por semana durante 40 minutos.

Corridas leves

Mulheres que já praticavam corrida antes da gestação podem continuar com o hábito durante os primeiro meses de gravidez, desde que corrida seja bem leve e respeite a frequência cardíaca adequada. Porém, por ser uma atividade de impacto com maior risco de quedas, a prática é recomendada apenas para o primeiro trimestre de gestação. Durante o período gestacional ocorrem mudanças no centro de gravidade e aumento da massa corpórea, e isso vai alterar a postura, a marcha e o equilíbrio da mulher. Por conta disso, o melhor a fazer é procurar um médico antes de começar a correr para excluir os riscos.
Recomenda-se a corrida leve de duas a três vezes por semana durante 30 minutos.

Pilates

Imagem relacionada

Apesar de ser uma das atividades mais indicada para as gestantes, a futura mamãe deve respeitar seus limites na aula de pilates. Existem diversos exercícios que são contraindicados para gestantes por conta da posição e do esforço que exigem. O correto, portanto, é buscar um fisioterapeuta que seja especializado na modalidade para gestantes.

Um dos maiores benefícios do pilates é que ele trabalha o músculo do assoalho pélvico e a respiração, fatores essenciais para que o parto seja mais tranquilo. O exercício vai inclusive ajudar na redução da diástase abdominal, que acontece quando os músculos abdominais se separam por estarem sustentando muito peso ou por terem se esticado muito, uma complicação comum na gravidez e no pós parto.

A recomendação para a gestante é praticar pilates de duas a três vezes por semana durante uma hora.

Natação

Imagem relacionada

Nadar também está entre as melhores opções para as gestantes que querem se exercitar, pois o impacto e o risco de lesões são menores na água. Por ser uma atividade que exige certo preparo físico, a preferência é para as mulheres que já faziam algum tipo de atividade física antes de engravidar.

De acordo com o ortopedista Lucas Ribeiro, nada impede que as atletas de primeira viagem invistam nessa modalidade, desde que respeitem os próprios limites. “Na natação a gestante precisa soltar e puxar a respiração em um determinado ritmo, o que somado as alterações posturais pode causar desconforto”, completa Lucas. Nesses casos, recomenda-se a mudança de atividade ou a diminuição do ritmo. A frequência deve ser de duas a três vezes por semana durante 30 minutos.

Hidroginástica

Imagem relacionada

A hidroginástica também está entre as melhores atividades para as gestantes. Os exercícios da modalidade relaxam e diminuem o estresse, o risco de quedas é mínimo e a chance de sofrer algum tipo de lesão muscular ou articular é muito baixa.

A temperatura da água não pode estar acima de 31°C, porque pode levar a vasodilatação e aumento da pressão sanguínea, favorecer desmaios e provocar o aumento excessivo da temperatura do bebê. Além disso,

o pH da água tem que estar entre 7,2 e 7,6 se estiver fora desses valores perde a eficácia na eliminação de bactérias, favorecendo irritações nos olhos e aumentando o risco de infecção urinária. Para se certificar que o pH está correto, é importante se informar sobre o tratamento da piscina na  qual  faz  as  aulas. Gestantes podem fazer hidroginástica de duas a três vezes na semana durante uma hora por dia.

Bicicleta normal ou ergométrica?

A melhor forma de pedalar quando se está grávida é na bicicleta ergométrica. O ideal é fazer os exercícios numa bicicleta com encosto para não sobrecarregar a lombar e manter o tronco na posição ereta, ao segurar no guidão a coluna fica arqueada, favorecendo dores e lesões musculares. Além disso, pedalando na ergométrica o quadril oscila menos do que em uma bicicleta normal, o risco de quedas também é menor. A gestante deve estar bem posicionada e a bicicleta regulada, tomando cuidado com a angulação do joelho, que não deve esticar todo e nem dobrar muito, declara. A frequência deve ser de duas a três vezes por semana, durante 40 minutos.

Yoga

Segundo os especialistas, as posturas da yoga alongam e tonificam os músculos, relaxam as articulações e aumentam a flexibilidade corporal, ajudando a gestante a se adaptar às transformações físicas da gravidez.
O alongamento que a yoga proporciona é um dos benefícios mais importantes para a gestante, já que seu centro de equilíbrio muda e ela passará a forçar músculos que antes não usava tanto, diminuindo as dores na coluna. Os exercícios de respiração da yoga aumentam a circulação da gestante fazendo com que o organismo funcione melhor para mãe e para o bebê. Os movimentos estimulam o cérebro a produzir endorfinas que melhoram o humor da grávida e impulsionam o funcionamento dos rins, minimizando a retenção de líquidos.

A prática deve ser feita no mínimo duas vezes por semana. Os exercícios básicos poderão ser executados diariamente por 10 a 15 minutos e podem ser feitos à noite, ajudando a gestante a ter um sono mais tranquilo.

Musculação com restrições

A prática não é uma das mais recomendadas para gestantes, pois a modalidade prioriza o fortalecimento dos músculos externos quando a grávida deveria se preocupar com os músculos internos, pois são eles que garantem mais estabilidade. Mas se a mulher já fazia musculação antes da gravidez e quiser continuar com o exercício, não há problemas, desde que sejam seguidas as recomendações médicas. É necessária a retirada das séries de abdominais do treino, que são contra indicação absoluta para as gestantes, e diminuição da carga e de repetições das séries.

Grávidas podem dirigir sozinhas?

A rotina de uma gestante deve mudar o mínimo possível. No entanto, após a trigésima segunda semana, é melhor não correr riscos. A partir daí, o bebê começa a se mexer mais, podendo distrair a mulher. Além disso, os reflexos ficam mais lentos. Essa restrição varia de acordo com o cotidiano e a saúde emocional e física da mulher. Nessa etapa da gravidez, é preciso tomar mais cuidados.

Diminuir o estresse, que normalmente acompanha o trânsito das grandes cidades, é importante, principalmente, nos meses finais da gestação. Por isso, andar mais no banco do passageiro ou preferir táxi são boas opções nessa etapa final.

Até que mês a gestante pode fazer sexo?

A relação sexual com o parceiro é permitida durante todos os meses, já que a saúde do bebê não é prejudicada durante a relação sexual. O sexo é permito durante toda a gravidez, a não ser que existam intercorrências como sangramento e contrações.

Muitas mulheres ficam preocupadas com a possível perda de desejo sexual durante esse período, mas pesquisas mostram que esses casos são minoria. Segundo um estudo feito pelo Hospital de Santa Maria, em Portugal, 89% das mulheres não sentiram diferença no desejo sexual durante a gravidez.

Pernas para cima.

Esta é a solução mais antiga e prática para o problema de inchaço e cansaço. No fim do dia é recomendável que a gestante coloque as pernas para o alto, com o objetivo de facilitar o retorno do sangue das pernas para o coração. Se estiver no trabalho, ela pode colocar as pernas numa cadeira ou qualquer apoio, mantendo os pés ao mesmo nível do quadril. Em casa, a grávida pode deitar e acomodar as pernas em dois ou três travesseiros, para elevar os pés.

Produtos Indicados:

1260089-ol.jpg
Compre Aqui!!

 

Gostou?! Então siga as nossas redes sociais, e compartilhe. 😉
E deixe o seu comentário com sugestões de melhoria e sugestões para novas postagens também. 😉

Facebook
Instagram

Gostou?! Então deixa seu comentário e sugestões para novos posts. 😉

Até o próximo post.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s